Estou assistindo nesse momento a cerimônia do funeral de Michael Jackson.

Tenho mais o que fazer, mas resolvi me unir ao resto do mundo para dar adeus.

Os americanos tem o costume de enterrar seus mortos dias depois do passamento. Não é como aqui, que a gente enterra, se bobear, no mesmo dia.

Talvez pelo clima tropical os defuntos se decomponham mais rapidamente. Mas agora é verão no hemisfério norte e o costume não muda.

Talvez seja uma maneira sábia das pessoas irem se acostumando aos poucos com a partida do ente querido.

No funeral, sempre alguns amigos ou parentes fazem uma pequena homenagem ao falecido, relembrando alguns bons momentos que passaram juntos.

Se fosse um filme de Almodóvar, certamente nessa hora alguém iria aproveitar para lavar a roupa suja do decujus na frente de todo mundo.

Mas como é um american way of funeral, todos tratam de se comportar muito bem.

Depois do funeral tem a comilança na casa da família. Todos com a cara padrão de enterro: consternados, cabisbaixos, mas mandando ver nos comes e bebes.

Aqui na terrinha, acabou o enterro, vai cada um para sua casa.

Bonita a homenagem a Michael Jackson. Bonito seu caixão. Espero que seu túmulo não seja profanado, pois foi dito que o esquife é folheado a ouro.

Ah, se fosse aqui…

Vou voltar a assistir ao funeral, na  esperança  de que, ao som de Thriller, o caixão se abra e Michael saia dançando, para estupefação de todos.

Seria a maior jogada publicitária de todos os tempos!