Garimpando por aí, encontrei essa antiga propaganda de Modess e me deu vontade de escrever sobre isso.

Não sou do tempo das famigeradas toalhinhas higiênicas. Deus me livre!  Nem minha mãe pegou esse tempo.

Mas nós, mulheres dos tempos modernos, nem nos damos conta da sorte que tivemos em usufruir desse conforto.

Nem imagino como era no tempo dos “paninhos”… E quando vazava? E para lavar? Deixar de molho? E aquelas coitadas que menstruavam verdadeiras hemorragias? E se estivessem em algum lugar onde fosse impossível trocar o paninho? Algumas vezes perguntei a minha avó como ela fazia, mas sempre obtinha uma resposta evasiva seguida de uma súbita mudança de assunto.

É verdade que naqueles tempos as mulheres não trabalhavam fora, raramente usavam calça comprida, então era mais dificil passar vexames.

Mas será que elas saíam de casa quando estavam “naqueles dias”?

Achei interessante a parte do anúncio onde explicam que é para usar só uma vez e jogar fora. Dá até vontade de rir… Mas levando em conta a mentalidade daquele tempo, foi bom elucidar esse detalhe, senão talvez alguém resolvesse lavar para aproveitar depois.

Nunca conheci uma mulher que gostasse de ficar menstruada. Umas sofrem mais do que as outras, tem cólicas, o fluxo é intenso, tem alterações de humor (TPM). Outras sofrem menos. Mas até as mais abençoadas não gostam nada. Tem que ser mulher para entender.

Eu, por exemplo, toda vez que me revolto com minha condição feminina, procuro lembrar das minhas companheiras de outrora, usando, lavando e enxaguando paninhos por anos a fio.

Serve de consolo…

    <!– permalink

    –>